Eventos

Pré-carnaval no Memorial Vale

Praça da Liberdade, 640, esq. Gonçalves Dias

Memorial Minas Gerais Vale

Entrada Gratuita sujeita a lotação

13/jan (sábado) | 16h: Batuque Beauvoir


Quem já está se programando para as atrações pré-carnaval de Belo Horizonte deve incluir no roteiro o Memorial Minas Gerais Vale – no Circuito Liberdade. Neste mês de janeiro, shows do Batuque Beauvoir e do Projeto Seu Vizinho prometem animar o público com repertório de clássicos do samba e da música popular brasileira, respectivamente. O primeiro deles será na tarde do dia 13/1, às 16h, quando as cinco mineiras integrantes do Batuque Beauvoir relembram composições de Dona Ivone Lara, Moacyr Luz, Paulinho da Viola, entre outros. No sábado seguinte, dia 20/1, também às 16h, será a vez do Projeto Seu Vizinho – uma evolução do Bloco Seu Vizinho, que sai pelas ruas da Capital desde o Carnaval de 2015. A entrada é gratuita e sujeita à lotação do espaço. O Memorial Vale fica na Praça da Liberdade, 640 – Funcionários, esquina com Rua Gonçalves Dias.

O Batuque Beauvoir nasceu no final de 2016, com formação completamente feminina, e o nome inspirado na escritora, intelectual e filósofa existencialista Simone Beauvoir. Embora não se considerasse uma filósofa, De Beauvoir teve uma influência significativa tanto no existencialismo feminista quanto na teoria feminista. Nessa linha, o Batuque Beauvoir chega com a proposta de resgatar a história juntando música de qualidade com representatividade. A banda é formada por grandes cantoras e musicistas de Belo Horizonte: Alessandra Sales (violão); Analu Braga (percussão); Christiane Cordeiro (voz e percussão); Maria Elisa Pompeu (cavaco); Mariana Martins (voz e percussão) e Priscila Norberto (flauta transversal). A inspiração do nome vem da filósofa e escritora francesa Simone de Beauvoir, feminista, que a partir de 1949 colocou a mulher no centro dos debates e rompeu com uma tradição filosófica que a mantinha invisível.

O Projeto Seu Vizinho já é uma iniciativa sociocultural sem fins lucrativos que surgiu em 2017, no Aglomerado da Serra. No show do dia 20, traz repertório variado: desde composições autorais e nomes como Alceu Valença, Luiz Gonzaga e Tom Jobim, até MC Ludmilla, Daniela Mercury e Racionais MC’s. O grupo é uma evolução do Bloco Seu Vizinho, formado em 2014, e objetiva promover a arte, a cultura, o conhecimento e a cidadania para toda vizinhança, com vistas a uma transformação social. A atração chega ao Memorial Vale dentro do projeto Diversidade Periférica, que mensalmente – desde setembro de 2017 – promove shows e outras apresentações de artistas da periferia da Capital, especialmente do Aglomerado da Serra. A proposta se fundamenta no conceito de acessibilidade como aquilo que é atingível, que tem acesso fácil, e busca aproximar moradores dos aglomerados à programação e às atividades do museu, além de dar visibilidade às iniciativas, às manifestações e às práticas artístico-culturais existentes em cada comunidade.

MEMORIAL MINAS GERAIS VALE – BALANÇO 2017

Conhecido como museu de experiência, o Memorial Minas Gerais Vale – no Circuito Liberdade, fechou 2017 com público geral superior a 200 mil visitantes. Além do acervo de exposição permanente distribuído pelas 31 salas interativas, outras 852 instituições atendidas pela equipe de educadores contribuíram para o saldo positivo, além de outros 205 eventos - com destaque para a exposição Jardins Móveis, de Felipe Barbosa e Rosana Ricalde, com 13 esculturas de animais gigantes distribuídas pelo museu e a Praça da Liberdade. Dividido em três pavimentos, o Memorial Vale foi inaugurado em novembro de 2010 e ocupa o antigo prédio da Secretaria de Estado da Fazenda. A museografia assinada por Gringo Cardia retrata a riqueza cultural que vem desde o século 18 até os dias atuais passando pelos povos, as vilas, a história da Capital, o barroco, os escritores, a moda, a história da Inconfidência, a religiosidade, e a arte do Vale do Jequitinhonha, entre outros temas. No prédio histórico ainda se encontra obras de artistas-simbolos de Minas Gerais como os sertões de Guimarães Rosa, os temas que inspiraram Drummond, a “não arte” de Lygia Clark e o trabalho de Sebastião Salgado. O ciclo do ouro também ganha destaque no espaço.

Foto: Maria Lauar


Selecionamos os melhores fornecedores de BH e região metropolitana para você realizar o seu evento.