Notícias

Série CONCERTOS COMENTADOS retorna com Pedro e Lobo, de Prokofiev, e Ave Verum Corpus, de Mozart

A série Concertos Comentados retorna em 2019 com Pedro e o Lobo, uma história que mistura fantasia e música erudita. Sob regência do maestro Sérgio Gomes, o Coral Lírico e a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais da Fundação Clóvis Salgado vão executar a obra composta por Sergei Prokofieff em 1936, além de Ave Verum Corpus, de Mozart. A narração da história será feita pela diretora do Centro de Formação Artística e Tecnológica – Cefart, Marta Guerra e a Gerente de Extensão Bete Arenque.

Com o objetivo pedagógico de mostrar às crianças as sonoridades dos diversos instrumentos, na história de Pedro e o Lobo as crianças são introduzidas à narrativa por meio de etapas. Primeiro, são apresentados os instrumentos que serão utilizados para dar vida às personagens. Pedro, por exemplo, é representado pelas cordas; o Avô, pelo fagote; o oboé faz as vezes do pato, a clarineta representa o Gato, o Passarinho é a Flauta Transversal e os Caçadores, a percussão. Em seguida o público vai conhecer a história de Pedro, que vive com seu avô no interior da Rússia e se aventura por uma floresta.

Durante a apresentação, Marta Guerra e Bete Arenque contam para a plateia a história da composição de Prokofieff, chamando a atenção para detalhes e curiosidades que norteiam o universo de Pedro e Lobo. Elas também vão destacar instrumentos utilizados pelo compositor para ambientar a narrativa e que determinam as características de cada personagem do conto.

Além da história russa, o Coral Lírico vai apresentar Ave Verum Corpus, composição de Wolfgang Amadeus Mozart, moteto composto para celebrar a festa de Corpus Christi.

Orquestra Sinfônica de Minas Gerais – Criada em 1976, a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, corpo artístico gerido pela Fundação Clóvis Salgado, é considerada uma das mais ativas Orquestras do país. Em 2013, foi declarada Patrimônio Histórico e Cultural do Estado de Minas Gerais. Em permanente aprimoramento da sua performance, a OSMG cumpre o papel de difusora da música erudita, diversificando sua atuação em óperas, balés, concertos e apresentações ao ar livre, na capital e no interior de Minas Gerais. Como iniciativas de destaque, podem ser citadas as séries Concertos no Parque, Sinfônica ao Meio-dia e Sinfônica em Concerto, além da Sinfônica Pop que apresenta grandes sucessos da música popular brasileira com arranjos orquestrais. Em 2016, Silvio Viegas assumiu o cargo de regente titular da OSMG. Antes dele, foram responsáveis pela regência: Wolfgang Groth, Sérgio Magnani, Carlos Alberto Pinto Fonseca, Aylton Escobar, Emílio de César, David Machado, Afrânio Lacerda, Holger Kolodziej, Charles Roussin, Roberto Tibiriçá e Marcelo Ramos.

Sérgio Gomes – Graduado em trompa pela UFMG em 1997, nasceu no estado do Rio de Janeiro e iniciou seus estudos musicais com seu pai, o maestro Sebastião Gomes, e de trompa aos 11 anos na Escola de Música de Brasília com o professor Raimundo Martins. Em 1977, passou a integrar como primeiro trompista a Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas atuando também como solista. Em 1981, foi convidado a participar da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais como primeiro trompista e solista. Esteve à frente da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais na Série Sinfônica no Museu, Concertos Educativos, Concertos no Parque, Concerto na Cidade, Sinfônica ao Meio-Dia, Sinfônica em Concerto e Sinfônica Pop. Atualmente, Sergio é o primeiro trompista solista e regente-assistente da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais.

Coral Lírico de Minas Gerais – Criado em 1979, o Coral Lírico de Minas Gerais, corpo artístico da Fundação Clóvis Salgado, é um dos raros grupos corais que possui uma programação artística permanente e que interpreta um repertório diversificado, incluindo motetos, óperas, oratórios e concertos sinfônico-corais. Já estiveram à frente do Coral os maestros Luiz Aguiar, Marcos Thadeu, Carlos Alberto Pinto Fonseca, Ângela Pinto Coelho, Eliane Fajioli, Silvio Viegas, Charles Roussin, Afrânio Lacerda, Márcio Miranda Pontes e Lincoln Andrade. O Grupo se apresenta em cidades do interior de Minas e em capitais brasileiras com o intuito de contribuir para a democratização do acesso ao canto coral. As apresentações têm entrada gratuita ou preços populares. O Coral já atuou com a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, além da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais. Dentro da política de difusão do canto lírico promovida pelo Governo de Minas Gerais, o Coral Lírico desenvolve diversos projetos que incluem as séries Concertos no Parque, Lírico Sacro, Lírico ao Meio-dia, Lírico em Concerto e Sarau no Café, além da participação nas temporadas de óperas realizadas pela Fundação Clóvis Salgado.

Foto: Paulo Lacerda

Selecionamos os melhores fornecedores de BH e região metropolitana para você realizar o seu evento.